Thursday, January 08, 2009

A Importância do Cavaleiro das Trevas

Hey!

Esses dias assisti pela terceira vez Batman - O Cavaleiro das Trevas. Foram duas no cinema (coisa bem rara de se acontecer nesses tempos de 20+ reais a entrada) e uma na telinha do meu PSP. Ontem, depois de corrigir uma falha enorme no meu currículo de amante do cinema e terminar de assistir O Poderoso Chefão 2 ("Sensacional!", diria o ainda de férias Igor), me peguei começando a ver o filme pela quarta vez (e uma quinta vem aí, assim que o filme entrar em cartaz na sala Imax que será inaugurada aqui em São Paulo ainda este mês)

Este tipo de reação não é normal, mesmo vinda de um fã de quadrinhos como eu. Assim como não é normal ter vontade de fazer um post sobre um filme que já foi discutido e rediscutido em todos os cantos do mundo virtual e fora dele tanto tempo depois de sua estréia. Isso só se justifica por um fato: o filme não é apenas bom. É importante.

Enquanto revia os enquadramentos fantásticos de Christopher Nolan e as atuações brilhantes de Christian Bale, Michael Caine, Gary Oldman, Aaron Eckhart e - lógico - Heath Ledger, cheguei a uma óbvia conclusão: se não fosse um filme do Batman, se Bruce Wayne fosse só um homem obstinado disposto a lutar para manter a lei em sua cidade, se o Coringa fosse "apenas" um psicopata anarquista e se a cidade se chamasse Nova York ao invés de Gotham City, não só teria indicação certa ao Oscar de melhor filme como seria considerado o grande favorito.

Porque apesar de beber da fonte, O Cavaleiro das Trevas não é exatamente um filme de super-herói no sentido mais blockbuster e hollywoodiano da palavra. Não é um filme pipoca, não tem estética de quadrinho, não é calcado no maniqueísmo irrefutável, não economiza na violência (embora ela seja muito mais subentendida do que explícita) e não tem um final feliz. O filme de Nolan está muito mais próximo de Estrada para a Perdição do que de Homem de Ferro, e essa pode ser a prova que faltava para que esse tipo de adaptação seja levada mais a sério entre os acadêmicos da sétima arte.

O Coringa de Lee Bermejo

Outra grande prova da importância do filme é a influência inversa.

A releitura dos personagens foi tão bem feita que começa a refletir justamente nos quadrinhos que lhe serviram de origem. Ou alguém ainda tem dúvidas da fonte de inspiração de Brian Azzarello e Lee Bermejo para a recente graphic novel em capa dura, Joker? E seria ótimo que a coisa não parasse por aí. O relacionamento entre Bruce Wayne e seu mordomo e confidente Alfred, é talvez o mais profundo e bem trabalhado da história dos dois personagens em qualquer mídia. Seria ótimo se os roteiristas das séries regulares do Morcego pegassem algumas dicas com Mr. Nolan.

Não se trata só de aproveitar o hype do filme e incorporar alguns de seus elementos aos quadrinhos (algo que acontece com certa frequência), mas de evoluir o personagem através da película e ver essa evolução aplicada aos quadrinhos.

Embora não seja um filme sem defeitos, Batman - O Cavaleiro das Trevas deixa um legado ainda maior que a ultra comentada e elogiada performance de Heath Ledger. Resta saber se está herança será devidamente compreendida e devidamente aproveitada nos anos que estão por vir.

Cheers!

T.

5 comments:

Julio Matos said...

CAreca
Assiti o filme esta semana e concordo contigo em todos os argumentos, é uma obra prima da qual destaco o roteiro e a direção.

Se Watchman for metade do Cavaleiro das Trevas, teremos muito o que comemorar.

E talvez até rezar por um Sandman nas telonas! hehehe

Kaio said...

Concordo absolutamente, excelente post Doutor!

Mas eu tenho minhas dúvidas se Watchmen vai ser tão bom quanto TDK, o Snyder tá fazendo uma HQ em movimento, tudo está praticamente igual às páginas, não acho que vai ter o mesmo impacto que TDK, principalmente por ser uma história fechada.

E só aceito Sandman se o Gaiman ficar do lado do diretor durante toda a produção (seja lá quem for, mas pra uma coisa dessas eu só confiaria no del Toro).

Romullo Assis said...

Concordo plenamente, Caio! Só se Gaiman ficar do lado do cara, mas se Sandman for para as telonas, ficará duca no mínimo... Agora Batman O Cavaleiro das Trevas ficará em meu imaginário até o epitáfio... Mt bom msm, td a estética do filme é perfeita... e os diálogos, rapaz, qnt inteligência. Agora para substituir o Ledger, só msm o Depp. Mas aí é uma outra história..
Abçs!

Romullo Assis said...

Digo, Kaio, malz!

Kendi said...

O engraçado é que um dos motivos desse filme fazer tanto sucesso foi ser um filme do Batman, mas é justamente isso que o afasta do Oscar.
Falando em Watchmen, achei muuuuito bem feito os efeitos especiais pelo que vi nos trailers, mas eu imaginava o Sr. Manhatan mais limpo, sem muitas manchas escuras.