Thursday, February 08, 2007

Wisdom?

Sabe...

Passar dos trinta torna um homem mais sábio. Mais comedido.

Ele aprende a ponderar, a agir com parcimônia, medir seus atos.

A esquecer velhas desavenças e não cair em provocações.

E também a assistir documentários sobre fungos no Discovery Channel e passar o sábado inteiro caçando receitas que usam soja no Google e pensando que cor vai ser o novo papel de parede da sala.

Ainda bem que esse homem não sou eu.

Me enviaram uma pérola hoje que vale a pena ser reproduzida e respondida. E talvez aqueles que identificarem de onde veio a peça de circo se perguntem (ou ME perguntem) porque diabos eu não respondi no próprio fórum.

Well.., no dia em que eu quiser ser linchado ponho uma camisa do verdão e vou dar um rolê no Morumbi em dia de Corinthians e São Paulo. Domingo tem, aliás.

Mas enfim...
"Archanjo" disse em seu post:

"Já as adaptações porcalhonas de mangás, a reciclagem eterna de ilustrações e outras calhordices praticadas ao longo dos anos, realmente não possuem mais espaço. Talvez iludam um público iniciante por algum tempo, mas logo cairão no limbo merecido"

Tá, tá...alguém vai dizer que ele não citou nomes. Que eu "vesti a carapuça". Alguém mais além dele tá na oitava série? Não? Beleza.

É tipo piada né? Adaptação é questão de gosto. Questão de fazer como é viável. Eu não gosto de várias. Muita gente gosta. E a gente continua fazendo. E continuam gostando.

Repetir ilustração chama "baixar custo". É chato? É picareta? Maybe. Mas a revista saía. E lembrando: a gente continua no ramo.

As outras canastrices eu queria saber quais são. Uma eu admito: foi colocar o nome do supra-citado em uma edição. Podem tacar pedra que eu mereço.

Enfim, o dia em que a gente for pro limbo posso ir tranquilo. Satisfeito pelo trabalho bem feito e com a certeza de que conforto vai ter: exemplar de Fantapunk pra deitar encima não vai faltar...

Cheers, mate!

T.

6 comments:

Bahamute said...

Cara, sempre gostei do seu trabalho, tanto na DB, quanto na DS. Eu sempre acompanhei o trabalho de vocês, e sempre gostei muito, pois tirava varias "ideias" deles para mestrar meus jogos...

Você ainda volta (definitivamente) para a DS? digo, na tua coluna?

sempre q compro a DS, é nela q eu colo direto...

Abraço!


PS:
Lembro de uma vez, no Internacional de RPG, eu e um amigo encontramos você no stand da DB, meu amigo, que nunca tinha lido uma DB, não reconheceu, e eu comentei com ele: Cara, tavendo aquele careca alí, é o Trevisan!

Ele disse: quem? ele é famoso?

Eu respondi: é o Editor da DB!!!

Aí ele (brincalhão como sempre) foi até você e deu um grito:
MALUCO EU SOU SEU FÃ!!!

e você, prontamente respondeu:

Meus pesames!

hahahaa

anyway...

abraço cara!!

Lair (é meu nome! e não um nick!!! xD)

Armageddon said...

^^'

O Archanjo levou vinte anos pra desenvolver um cenário que usa o mapa do Brasil(!)como base, e que usa culturas do nosso mundo com nomes diferentes.

Ele é uma das últimas pessoas no universo conhecido a ter moral pra falar em adaptação e reciclagem de imagens.

E a tempo, isso não é um ataque ao carinha que eu mal conheço. Só acho bizarro alguém cuspir pra cima buscando acertar o prato que comeu.

Ulisses said...

eu diria que ele acertou o própio olho.

Pelo menos dá para se divirti com adaptaçoes de mangá, já com FantaPunk...

Alguém conhece alguém que joga?

Eu tbem n ....

Tek said...

Sempre imagino uma garrafa de Fanta Uva com um moicano...
Isso sim é "punk"!

H.v.Diaknoff - O titeireiro said...

Acredito que o tempo que vocês tiveram a frente da revista e o numero de seguidores fala por sí.

Rei said...

Eu li a troca de farpas mútuas entre a "antiga escola" e a "nova turma" da DB, e o que posso dizer? Bem, ainda não li a DS, mas acompanhei uma ou outra edição da DB e gostei do material, em parte eu concordo com algumas créticas do Telles, as vezes era chato ver páginas e páginas de adaptação de Mangás/Animes, nunca fui leitor fiel da DB, mas ao longo de todos esses anos boas matérias foram publicas na revista, e embora eu concorde que algumas vezes certos sistemas tenham sido mais privilegiados que outros, eu sempre procurei aproveitar o que era publicado na revista em "meus próprios" sistemas. Na época em que Tagmar era tido como "xerox barata do clássico D&D, eu adaptava como podia as matérias, aventuras e cenários, foi assim por exemplo que jogávamos Disco de Três em Tagmar ou adaptava o que já era adaptado, como por exemplo o "Gurps: Ghost in the Shell" e "Cross" que uso em F3 (um sistema independente que circula pela net, e fique claro aqui que não sou contra as adaptações de mangás e animes, até porque eu sou fâ dos dois gêneros"). Eu participo no Orkut de comunidades que criticam a DB e o "Trio Tormenta", mas reconheço o valor dos caras para RPG, dizem que o trio não ouve seus leitores é balela, basta ver o site do sistema Daemon que nasceu na própria DB, tem centenas de netbooks escritos por quem mesmo?
Quero finalizar dizendo que tenho minhas críticas sim ao Trio Tormenta, mas que também reconheço que em todos esses anos os caras prestaram um grande serviço difundindo o RPG no Brasil e que ao longo dessa longa jornada o Trio mais acertou do que errou.