Friday, April 25, 2008

Diário de uma Trilogia: Episódio 3

Ho!

Os capítulos do novo romance não param de chegar. O Leonel tá bem empenhado e, pelo jeito, devo receber mais uma cacetada de arquivos em breve.

Desta vez o atraso é meu. Recebi no total dez arquivos até agora + o prólogo. Destes, imprimi, li e corrigi sete e passei as alterações para o arquivo de Word em três. E ainda não enviei nenhum.

Vou explicar de novo como funciona essa fase. Recebo os arquivos brutos do Leonel, imprimo, leio e assinalo o que precisa ser corrigido usando uma caneta marca texto (igual a camisa número 3 do Verdão, oleporco-oleporco). Depois pego o impresso e vou fazendo anotações no arquivo de computador, de acordo com o que marquei antes.

Pra dar um exemplo legal, peguei alguns trechos do arquivo de correções de "O Crânio e o Corvo". Em negrito estão as passagens do livro em estado bruto e na sequência os meus comentários (podem ou não conter spoilers):

"Logo voltaram os dois oficiais, trazendo o enorme e pesado fardo que aquele cavalariço guardara no estábulo. Desenrolaram os panos, e revelaram uma armadura completa, reluzente e polida, a espada e um largo escudo que trazia o símbolo da Ordem da Luz".

Como aparece pela primeira vez, será que não valia a pena descrever o símbolo?


"E foram dias antes que a manopla negra emergisse do solo. Crânio Negro ergueu-se da colina de terra, escombros e cadáveres. Deixou-se cair no chão, o corpo trêmulo de esforço, a mente vibrando de cálculos".

Era bom verificar como funciona o item mágico (anel de regeneração, creio eu) que apareceu na ficha do personagem ou ao menos se certificar de ter uma boa desculpa picareta pra quando alguém apontar uma possível discrepância.


"— Bem-vindo, Ashlen Ironsmith – disse o menino, errando as palavras. – Você gosta de ser preso?

Pode ser besta, mas não fica estranho citar “errando as palavras” com tudo escrito direitinho?


"— Quem é você, afinal? – disse Vanessa. Dores."

Aqui ficou parecendo que o nome dela é Vanessa Dores. Tipo personagem de novela do SBT.:)


"— Ele já tem quase um dia de vida – era Vanessa. – Pode com um demônio da Tormenta".

Chatice minha, mas aqui achei a Vanessa meio exagerada demais dentro daquele lance de estereótipo que a gente falou. Acho que se der um tom mais explicitamente cômico meio que resolve. Algo do tipo “pode com um demoniozinho da tormenta”, ou “ um simbionte tosco”. Sei lá.


"— Sabia que você ouviria a voz da razão, mestre Ingram. sua dedicação e presteza em relação a sir Orion Drake são mesmo admiráveis. Imagino que o fato de Vectora comercializar a melhor pólvora do mundo todo não tenha nada a ver com sua decisão de embarcar?"

Embarcar será que é o termo certo? Outra coisa é checar a trajetória da cidade. Lembro que tem reinos pelos quais ela não passa, se eu não me engano.


Basicamente é assim que corre esse estágio. Que leva meses, por sinal.

A maioria das anotações não passa de sugestão mesmo. Algumas vão parar no texto final, outras não. O Leonel é o tipo do cara que sabe o que tá fazendo (em alguns aspectos até mais que eu) e por isso não é legal ficar cortando ou amarrando demais.

Outra coisa que tento manter na cabeça quando faço um trabalho destes é: o livro não é meu. O trabalho do editor é ajudar o escritor a contar a história que o ESCRITOR idealizou, mas de uma maneira coerente e eficaz. No nosso caso, a idéia é do Leonel, o trampo é do Leonel, o tempo gasto é do Leonel e o produto final, por sua vez, é do Leonel.

A única função do resto da equipe é certificar que tudo saia conforme o planejado.

Até o Episódio 4 (Uma Nova Esperança?)!

Cheers!

T.

1 comment:

Victor said...

bem legal o jeito que funciona o processo de criação de um livro =). Ja li o inimigo do mundo e o cranio e o corvo, e espero ansioso pelo final da trilogia =D.